Noticias

Leitores destacam importância da série Maquetes Belém

Segunda-Feira, 11/02/2019, 08:03:05 - Atualizado em 11/02/2019, 08:03:05 ,

Tamanho da fonte: A- A+
Mixto-MT afirma que Remo ofereceu R$ 600 mil (Foto: Reprodução/Mixtonet.com)

A série Maquetes Belém 403 anos levou ontem aos leitores do DIÁRIO a sua última publicação desta edição, com uma homenagem ao prédio do Lauro Sodré, atual sede do Tribunal de Justiça do Estado (TJPA). A série, de grande sucesso, publicou ainda maquetes da Igreja do Carmo e Theatro da Paz. 

Para o professor de história Kleytton Luz (39), a coleção Maquetes Belém ajuda a resgatar a memória da capital por meio da valorização do patrimônio. “É uma forma de valorização do espaço público que, de certa forma, é um pouco apagada. Isso ajuda a perpetuar a nossa memória para boa parte da população. Os espaços estão ai, mas muitas pessoas sequer conhecem esses lugares ou a história que vem deles”, avalia. 

O educador parabenizou o projeto e acredita que iniciativas desse tipo abrem os olhos da população para um universo de história e cultura. “As pessoas não costumam procurar os espaços públicos daqui. Geralmente vão em museus em outros estados, mas não visitam os nossos. Vou mostrar a maquete para os meus alunos. É fundamental conhecer a nossa história”, destaca. Antes do Lauro Sodré, foram publicadas maquetes da Igreja do Carmo, prédio inaugurado em 1766; e o Theatro da Paz, aberto ao público em 1878.

CULTURA

“Belém precisa de mais cultura e conhecimento. Um projeto que reconstrói um monumento desse tipo deve ser parabenizado e expandido para que as pessoas saibam o quanto a história do nosso povo é bonita”, completou o aposentado Orlando Macedo (64).

Localizado na avenida Almirante Barroso, o prédio do Lauro Sodré foi erguido no final do século XIX. Construído em estilo Neoclássico, o prédio tem 120 anos de história e sediou várias instituições. O projeto Belém – 403 Anos tem patrocínio da Agropalma, Claro e Hapvida.

(Luiz Guilherme Ramos/Diário do Pará)