Noticias

Professora Joana D’Arc admite adulteração em currículo de Harvard

Quarta-Feira, 15/05/2019, 19:58:57 - Atualizado em 15/05/2019, 23:17:02 ,

Tamanho da fonte: A- A+
Mixto-MT afirma que Remo ofereceu R$ 600 mil (Foto: Reprodução/Mixtonet.com)

Após ter sua passagem pela Universidade Harvard contestada publicamente pelos jornais brasileiros, a professora Joana D’Arc Félix de Sousa admitiu que nunca fez pesquisas na instituição citada e classificou a inclusão de seu currículo como “uma falha”.

"A gente se empolga e acaba falando demais. É uma falha, peço desculpas, é uma falha", disse a professora por telefone em entrevista ao jornal Folha de São Paulo nesta quarta-feira (15).

INCONSISTÊNCIAS

De acordo com as notícias do jornal O Estado de São Paulo, publicadas na última terça-feira (14), a professora apresentou um diploma falso para tentar comprovar vínculo com a universidade americana. Na matéria, ao ser questionada, ela diz que o papel [currículo] foi “produzido para uma peça de teatro” que teria sido enviado ao repórter por engano.

Ela ressaltou que chegou a receber um convite para ser aluna de pós-doutorado em 1994 quando concluiu o doutorado na Unicamp, mas não teria aceitado porque a irmã e o pai morreram naquela época e depois sua mãe enfrentou problemas de saúde.

Durante esse tempo, ela alegou que desenvolveu um projeto no Brasil sob orientação à distância de um professor de Harvard, William Klemperer, morto em 2017. “Eu considerei a orientação que recebi do professor William. Discutia o projeto, fui algumas vezes em seu laboratório, mas nunca fui efetivada como aluna porque não podia me ausentar por muito tempo, devido aos problemas de saúde da minha mãe”, disse.

A universidade, no entanto, diz que não encontrou evidências de que a professora teria recebido um diploma na instituição, mas não respondeu se ela recebeu a oferta para ser aluna ou se recebeu algum tipo de orientação de Klemperer.

INCERTEZAS

Desde que a matéria do dia 14 foi publicada e levantados os inúmeros questionamentos, Joana D’Arc diz estar temerosa de que o episódio afete o trabalho que realiza como professora de uma escola pública no interior de São Paulo. “Eu ajudei a tirar muita gente da prostituição, das drogas, esse trabalho não pode ser jogado na lata do lixo”.

Taís Araújo desiste de importante papel após críticas sobre 'tom de pele'

Ela disse também que foi procurada pelo diretor Alê Braga, responsável por produzir um filme sobre a vida da professora pela Globo Filmes, após a publicação da reportagem. “Ele ligou para dar uma força”, esclareceu.

(Com informações da Folha)